feel free to contact us

A nossa história

A história da Vinha da Ordem, remonta à Fundação de Portugal, ao início do século XII.

Após as longas e violentas lutas de reconquista da Península Ibérica aos Mouros, grande parte do território recuperado, incluindo Valhelhas, sofrera efeitos devastadores com perdas elevadas de população.

Após estabilizados estes territórios e numa tentativa de incentivar a fixação de novos povoadores, foram concedidos pelo Rei, privilégios, consignados em cartas régias, designadas de Forais.

É nestes forais atribuídos no início da Fundação de Portugal, no sec. XII à então estratégica Vila de Valhelhas que surgem os primeiros registos da existência de vinha e vinho em Valhelhas.  Pela mão do segundo Rei de Portugal, D. Sancho I, O Povoador, há mais de 832. Este Foral, concedia a tutela da Vila de Valhelhas à Ordem do Templo e seus frades e foi renovado duas vezes. Primeiro no século XIII por D. Afonso II e finalmente pelo  Rei D. Manuel no ano de 1514 onde é referida textualmente a existência de vinhos em Valhelhas Vinhos estes que seriam utilizados por altura do Natal como uma das formas de pagamento de taxas da vila de Valhelhas ao Reino.

Contactos e informaÇões / contacts and orders:

O desenvolvimento sustentável

Praticar uma agricultura sem recurso a produtos químicos bem como elaborar vinhos naturais com a intervenção mínima são nossas prioridades. Assim sendo, e para reforço desta missão, foi iniciado em 2022 o processo de transição para agricultura Biológica pretendendo assim dar ainda mais enfase à conservação do ecossistema. 

A Vinha da Ordem tem sido, ao longo de gerações, o suporte para a produção de Vinho, mas também a base de manutenção e desenvolvimento de um pequeno biótopo com inúmeras espécies de plantas e animais características desta região.

As visitas dos javalis e raposas, são recorrentes. Também a presença de abelhas polinizadoras, principais aliadas e indispensáveis ao processo de polinização.

As árores, arbustos e ervas aromáticas, são variados, tais como Carvalho, Cerejeira, Castanheiro, Amieiro, Rosmaninho, Amoreira, Medronho, Poejo, Hipericão, Esteva e Giesta estão presentes nesta pequena propriedade, que inclui também um pequeno bosque em recuperacão pós incendios 2022.

A Ribeira de São Miguel que atravessa a propriedade, é fonte de vida e água natural e cristalina, sendo afluente do Rio Zêzere, permitindo a existência sazonal de alguns peixes, que sobem a ribeira e de pequenos répteis e insectos, todos eles muito sensíveis podendo apenas sobreviver em locais protegidos e despoluídos como este.

Baseado no conhecimento ancestral de nossos antepassados, produzimos este vinho natural de intervenção minimalista. Recorrendo as uvas de cepas centenárias e vinhas enxertadas de castas locais muito antigas, as nossas microvinificações refletem a paixão e o respeito pela natureza.

Os nossos Vinhos

Rosado

Com enologia do Professor Virgílio Loureiro, inspirado na tradição do processo de fabrico dos vinhos vermelhos da Idade Média e utilizando uvas de cepas centenárias de castas antigas, produziu-se um vinho clarete, fruto de um desejo familiar de preservar a história, de manter o património e de acarinhar e partilhar o conhecimento que os nossos antepassados nos legaram.

As uvas são vinificadas com curtimenta de modo que o vinho final fique clarete, que na Idade Média era conhecido por vinho vermelho e tinha um profundo significado religioso, dado ter a cor do "sangue de Cristo"

Declaracão Nutricionoal            Valor/100ml

ENERGIA (E) .............................................355 kJ

                                               ....................85 Kcal

Lípidos                                                                  0 g

dos quais saturados........................              0 g

Hidratos de Carbono                                    0,42 g

dos quais aÇucares ...................... ...        0,42 g

Sal                                                                          0 g

Ingredientes:

  • Uvas

  • Conservante/antioxidante -Sulfitos  

Tinto

O nosso um vinho tinto com as castas típicas da região da Beira Interior, entre elas, Jaen, Rufete, Marufo, Baga, Castelão da Beira destacando-se pela sua frescura típica dos vinhos de montanha. 

 Declaracão Nutricionoal        Valor/100ml 

 ENERGIA (E)   .............................................355 kJ 

                                                  ................... 85 Kcal 

 Lípidos                                                             0 g

               dos quais saturados........................ 0 g 

 Hidratos de Carbono                                   0,42g

                 dos quais aÇucares ....................0,42 g 

  Sal                                                                          0 g    


Ingredientes:

  • Uvas

  • Conservante/antioxidante -Sulfitos

Branco

Produzimos também o vinho branco de curtimenta (laranja) com contacto e maceração pelicular de 7 dias. Um branco feito como se de um tinto se tratasse, obtendo-se assim um vinho de cor laranja, de estrutura complexa e com evidentes taninos que permitem um excelente envelhecimento em garrafa. 

Declaracão Nutricionoal  Valor/100ml

ENERGIA (E)..............................355 kJ

                           ......................85 Kcal

Lípidos                              ........... .....0g

dos quais saturados................. .....0g

Hidratos de Carbono              ..... 0,42g

dos quais aÇucares ...................0,42g

Sal                                                  ......0g   

Ingredientes:

  • Uvas

  • Conservante/antioxidante -Sulfitos

Outros produtos

Azeite

Azeite extra virgem, de categoria superior obtido directamente de azeitonas, unicamente por processos mecânicos e a frio para manter os aromas e propriedades originais.

Vinagre

Vinagre de vinho tinto, obtido diretamente da oxidação de vinho durante pelo menos 3 anos.

Frutos Secos

Avelãs obtidas dos nossos bosques em modo de conversão Biológica.

Os frutos secos são altamente nutritivos podendo representar uma complementaridade ou alternativa a outros alimentos.  

Óleo de massagem 

OLIVYSESNSE

Para o seu bem-estar, desenvolvemos o Olivysense. Um óleo de massagem hidratante que combina as propriedades do azeite e da lavanda.

Da natureza para a pele é a nossa assinatura.

Olivysense é resultado do conhecimento, investigação e desenvolvida ao longo de 40 anos em parceria com a cosmética.

O resultado, é uma pele macia, nutrida e limpa, transmitindo uma sensação de harmonia e bem-estar.

Usados pelas antigas civilizações gregas e romanas como forma de cuidar e tonificaro corpo, os óleos marcaram o desenvolvimento das sociedades, do seu bem estar ajudando a cuidar do corpo e do espírito.

Associados a rituais de iniciação e purificação, os óleos estavam presentes em importantes celebrações.

A Olivysense vem recuperar o uso de um dos mais importantes óleos da antiguidade, o óleo de azeitona, mais conhecido por azeite.

Família Saraiva Jerónimo

A Vinha da Ordem vem transitando há quatro gerações na mesma família, desde meados de 1800.

É necessário recuar até 1834, ano em que o Governo Liberal, pela mão do Ministro Silva Carvalho, deu início à venda dos Bens Nacionais. Esta venda foi precedida de um importante processo de incorporações que atingiu os bens da Igreja, da Família Real e parte dos da Coroa, e que levou à distribuição, feita por intermédio do Estado, de toda essa enorme riqueza móvel e imóvel.

Presume-se que esta vinha, à semelhança de muitas outras propriedades integradas durante este processo no património nacional e posteriormente vendidas, tenham sido vendidas em hasta pública entre os anos de 1834 e 1844.

Foi desta forma que a Vinha de Ordem terá transitado das mãos do Reino e da Igreja para o domínio privado, e assim se terá mantido até à presente data.

A família Saraiva Jerónimo, mantem uma profunda ligação ao campo, à natureza e ao conhecimento que recebeu, trabalhando arduamente para dar continuidade a estes valores e poder desta forma partilha-los com todos os outros e com as geracões vindoras

O que nos diferencia

A preservaÇão da diversidade biológica é para nós uma âncora, nomeadamente através da preservaÇão das vinhas centenárias, bem como, na manutenÇão das antigas castas Beira Interior, recorrendo para esse efeito a enxertias das castas mais antigas da vinha , de onde temos uma coleÇão de cerca de 16 diferentes castas. Destas castas destacamos, Rufete, Marufo, Folgasão Rosado, Síria, Fonte Cal, Jaen, Bastardo, Alfroxeiro, Bastardo, nentre muitas outras. (Para mais informaÇão solicitar relatório do estudo realizado)

A paixão pela natureza e pelos produtos por nós produzidos  que tanto acarinhamos e queremos partilhar. Tais como vinhos, azeites, frutos secos e óleos de massagens.

Enologia, o legado histórico de intervencões minimalistas
 

Desde a fundação de Portugal no século XII que os monges de várias ordens religiosas aqui produziram vinho, ao longo dos séculos, justificando o nome por que é conhecida a "Vinha da Ordem" que deu origem a um vinho peculiar.

Com a enologia do Professor Virgílio Loureiro, inspirado na tradição do processo de fabrico dos vinhos vermelhos da Idade Média e utilizando uvas de cepas centenárias de castas antigas, produziu-se um vinho clarete, fruto de um desejo familiar de preservar a história, de manter o património e de acarinhar e partilhar o conhecimento que os nossos antepassados nos legaram.

O Vinho da Ordem é feito com uma mistura de castas brancas e tintas previamente definida na altura de plantação da vinha, há muitas décadas atrás, segundo tradições seculares que foram passando de geração em geração. As uvas são vinificadas com curtimenta de modo que o vinho final fique clarete, que na Idade Média era conhecido por vinho vermelho e tinha um profundo significado religioso, dado ter a cor do "sangue de Cristo".

​As castas utilizadas neste vinho de antanho, são as representativas do encepamento antigo da Beira Interior e incluem Rufete, Jaen, Bastardo, Marufo e Baga, entre as tintas, e Fonte Cal, Síria e Folgasão Rosado, entre as brancas e rosadas. Muitas outras são desconhecidas, aguardando evolução de um estudo para a sua eventual identificação.

A utilização de castas tão diversificadas brancas, tintas e rosadas, precoces e tardias, (temporãs e serôdias) deve-se ao facto de uma vinha com maior variedade de castas ficar mais protegida das intempéries e pragas, pois se num ano se salvam umas no seguinte salvar-se-ão outras.

Esta era uma forma simples e sábia que os antepassados usavam para prevenir perdas significativas de produção motivadas pela instabilidade climática. As vantagens traduzem-se em menos tratamentos e num vinho sempre diferente, em função das castas que melhor resistem às geadas, granizo e trovoadas, permitindo uma experiência distinta em cada colheita. - Virgílio Loureiro.

Recentemente iniciámos a vinificação do vinho branco de curtimenta (laranja) com maceração pelicular. Um branco feito como se de um tinto se tratasse, obtendo-se assim um vinho de cor laranja, estrutura complexa e com evidentes taninos que permitem um excelente envelhecimento em garrafa.

Produzimos igualmente um vinho tinto com as castas típicas da região, entre elas, Jaen, Rufete, Marufo, Baga, Castelão da Beira.

Vinho de altitude, produzido da vinha com uma cota de 570 metros, em que a frescura e os frutos vermelhos são dominantes. Taninos e acidez marcada. Permitisse a um bom envelhecimento em garrafa. Típico da Beira


Como tudo começou

Este projeto nasceu numa das "Conversas à volta do Vinho" realizadas no Colegio de Agronomia da Regiao Sul da Ordem dos Engenheiros, 19 de Setembro de 2013, que incentivaram o produtor e a família a recuperarem uma vinha, em tempos explorada por diversas ordens religiosas, como a Ordem do Templo, que produziam vinho desde o início da Fundação de Portugal, preservando assim uma pequena parte da História e Cultura de Portugal.

A família Jerónimo e o produtor do vinho, Eng.º Pedro Jerónimo, acompanhado pelo Professor Virgílio Loureiro e Professor José Sobral, estão a desenvolver o projeto de recuperação da "Vinha da Ordem " que fica situada na aldeia de Valhelhas, no Parque Natural da Serra da Estrela, num escondido vale na margem esquerda do Rio Zêzere.

O produto âncora deste projecto é o Vinho da Ordem, inspirado na matríz dos antigos vinhos da Europa.

Com processos de produção naturais este é um vinho singular feito a partir de cêpas centenárias é ideal para provar entre família e amigos.

Agradecemos à Ordem dos Engenheiros, com especial gratidão ao Engenheiro Fernando Mouzinho, que com seu empenho tem permitido dar a conhecer este projecto a todos os colegas, amigos e apreciadores.

Porquê adquirir nossos produtos

Assim estará a manter um projecto familiar que respeita a natureza e os valores locais que nos foram passados de geracão em geracão. 

Parceria UNESCO Estrela Geopark

Recentemente reconhecida pela UNESCO Estrela Geopark, a Vinha da Ordem, transporta consigo o testemunho de séculos de tradição vitivinícola, bem como um património natural e geológico a preservar e que encontra inserido no Parque Natural da Serra da Estrela:

https://www.geoparkestrela.pt

Conheca nossos produtos também através da GEOFOOD: 

https://geofood.no/geoplaces/236123/


Seja o primeiro a ler o que há de novo!

Diversidade de Castas

Das tintas destacamos Rufete, Jaen,
Alfroxeiro, Marufo, Bastardo
O trabalho iniciado em 2012 permitiu identificar 16 diferentes castas
Folgasão Rosado entre as mais raras da Beira Interior em fase de recuperaÇão
Nas brancas destacamos a Síria e a Fonte Cal

FAQ

1. Onde adquirir os nossos produtos?

Dada ser uma produÇão pequena e exclusiva, cuidamos do contacto o mais próximo possível com o cliente. 

No entanto pode encontrar o vinho da Ordem ao nível regional como um pouco por todo o país, nomeadamente em Lisboa, Porto, Guarda, Caldas da Rainha. 

Também internacionalmente, pode encontrar nossos produtos nos seguintes países:

Países Baixos, Bélgica, SuiÇa , FranÇa, Suécia, Noruega.

Em vários bares de vinhos, enotecas e restaurantes, o vinho pode ser adquirido a copo.

É também bem vindo a provar o vinho na adega. Para informaÇão adicional, por favor contacte-nos. 


2. Podemos visitar a vinha?

Sim. Fazendo marcaÇão prévia para verificar as possíveis datas.

3. Imprensa

 * Vinho Da Ordem - Embracing Diversity In Vines: A Quest For Authenticity Beyond Appellations | Vinha Portugal - Lena Sarnholm 

https://vinhaportugal.com/vinho-da-ordem/


* Vinho da Ordem apresentado na Ordem dos Engenheiros

https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/vinho-da-ordem-apresentado-na-regiao-sul/






Vinha de Ordem

Valhelhas

Portugal

+351 96 747 97 19
geral@vinhodaordem.pt 

Facebook / Instagram / Youtube